Ritidoplastia

Com o passar dos anos, a face sofre um processo gradual, progressivo e inexorável de envelhecimento. O estudo desse processo de envelhecimento é um campo extremamente complexo, porém de conhecimento fundamental ao cirurgião que se propõe a executar procedimentos de rejuvenescimento facial.

A mudança talvez mais óbvia seja a perda da suavidade da pele. De curvas, volumes, depressões suaves, quase imperceptíveis, que fazem o olhar do observador correr num fluxo agradável, temos uma pele com sulcos profundos, limites definidos entre as regiões da face. A região do malar e da pálpebra, que na juventude são uma unidade, cada vez mais tornam-se áreas distintas. O sulco nasolabial, que antes era quase inexistente, torna-se profundo. A borda da mandíbula, que antes era reta, agora tem irregularidades. A gravidade faz com que os tecidos sofram um deslocamento e a face que era triangular torna-se quadrada. O lábio superior sofre alongamento, podendo dobrar a distância do nariz ao vermelhão do lábio. O osso da órbita sofre desgaste e a gordura que envolve o olho atrofia, fazendo com que este fique cada vez mais dentro da cavidade orbitária, resultando em olhos “menores”. A queda do supercílio também contribui para essa sensação de olho pequeno. A ponta do nariz cai. Perde-se volume em toda a face, principalmente nos malares, lábios e têmporas. Parte desse volume perdido não desapareceu, mas migrou para outras regiões. A pele perde colágeno, brilho, turgor. A camada superficial (epiderme) sofre espessamento, tornando a pele áspera e opaca, ao passo que a derme sofre um adelgaçamento importante. Os melanócitos, produtores de melanina, começam a trabalhar de forma irregular e a coloração da pele que antes era uniforme, torna-se disforme. Este é apenas um curto resumo de um tema extenso.

O objetivo da ritidoplastia é corrigir as principais alterações da face durante o envelhecimento. Uma análise pormenorizada de cada paciente é feita no consultório antes da cirurgia, para definir em quais regiões da face essas alterações existem e em qual intensidade, o que torna cada cirurgia única e adaptada a cada paciente, evitando os resultados artificiais e exagerados que muitos já devem ter visto.

A cicatriz é discretamente posicionada em volta da orelha e dentro do couro cabeludo. Podemos associar a este procedimento uma blefaroplastia, enxerto de gordura, injeções de ácido hialurônico (nos lábios, na região malar e no sulco nasolabial), lifting da sobrancelha, lipoaspiração de mento (“papada”) e “peelings" químicos ou LASER de CO2.

O tempo cirúrgico é em torno de 4 a 5 horas e a anestesia pode ser local com sedação ou geral. O paciente fica internado 24 horas e o dreno de aspiração é retirado no dia da alta hospitalar. O inchaço tende a melhorar com o uso de compressas frias nas primeiras 48 horas depois da cirurgia e com a elevação da cabeceira da cama. O paciente não pode fazer esforços físicos por 30 dias e tomar sol por 60 dias. Após uma semana é orientado drenagem linfática manual. Os pontos são retirados em 5 a 7 dias e o inchaço começa a melhorar após 2 semanas.